Destino

RESERVAS
Reserve já!
............

Cabo Verde


Cabo Verde é sinónimo de gastronomia rica, com a tradicional Cachupa, o conhecido Bife de atum, o Xerém, ou ainda o Modjo típico de São Nicolau.

 

Cabo Verde é a arte da Morabeza, que espelha o carinho com que nos recebem, é o símbolo da Sodade, tal como nos mostrou a voz de Cesária Évora, e do Cretcheu, o lado doce e romântico de um povo.

 

Cabo Verde é uma melodia calma e terna como a Morna, é o ritmo quente do Funaná. 

 

Cabo Verde é ainda um modelo de democracia, estabilidade e crescente prosperidade. Facto esse comprovado pela atribuição do prémio Mo Ibrahim ao ex- Presidente Pedro Pires, como forma de reconhecimento pelos seus feitos em termos de direitos humanos e boa governação, em que Cabo Verde se tornou o segundo país africano a elevar-se da categoria dos Menos Desenvolvidos da ONU.

 

Ilha de Santiago

 

Santiago, a maior ilha de Cabo Verde, pertence ao grupo do Sotavento. Dista cerca de 50km em linha reta da ilha do Fogo, a oeste, e a 25km da ilha de Maio, a leste. A cidade da Praia é ao mesmo tempo a capital do país e a sua cidade mais populosa. A ilha de Santiago e a Praia tiveram extraordinário desenvolvimento desde a independência em 1975, tendo a população duplicado desde aquele ano. Uma das povoações mais antigas é São Domingos no interior da ilha.

A ilha dispõe do Aeroporto Internacional da Praia, situado a apenas 3km do centro da cidade, que recebe vôos internacionais procedentes da Europa, da América do Sul, da América do Norte e do continente africano, além dos vôos domésticos.

Ribeira Grande de Santiago, actual Cidade Velha, a 15km a oeste da Praia, na costa, foi a primeira capital de Cabo Verde e é actualmente património mundial.

Cerca de 50km a norte da Praia localiza-se a cidade de Assomada com o seu concorrido mercado e o Museu da Tabanka. A norte da ilha, a cerca de 75km da Praia, está a cidade do Tarrafal, com praia de areias claras e palmeiras. Nesse mesmo concelho está o antigo Campo do Tarrafal criado pelo Governo português do Estado Novo para abrigar prisioneiros exilados.

A variante do crioulo cabo verdiano falada em Santiago recebe o nome popular de badiu, termo também utilizado para designar o natural dessa ilha.